Vídeos Imperdiveis

Loading...

domingo, 13 de janeiro de 2013

Templos "inchados"




Atualmente existem milhares de igrejas e inúmeras denominações evangélicas no país em número crescente. Este seria um motivo para se alegrar devido ao número de pessoas convertidas ao evangelho, mas não é tão simples assim. As igrejas estão cada vez mais ‘inchadas’ o que não caracteriza certamente que um número grande de pessoas verdadeiramente cristãs estão cultuando. Vários são os motivos que levam a esta causa: Primeiramente as mensagens pregadas estão mais massageando o ego das pessoas do que ensinando a caminhar com Cristo. Segundo, um número grande de pessoas gera maior dízimo e alguns líderes se desnorteiam com isso fazendo das mensagens, um instrumento para manter o membro na igreja com receio de que ele saia. Terceiro, as mensagens proféticas estão praticamente aniquiladas, por que sabemos que estas vêm como um furacão e alguns crentes não gostam de ouvir exortações, mas somente aquilo que querem ouvir. Sendo assim, em quarto lugar, acaba acarretando na morte espiritual dos profetas, pois se entregam a mensagem de Deus, eles são tachados por ‘chatos’ e inconvenientes. Ora, que costume é esse dentro da casa de Deus?!
É comum entrar em uma igreja e ver uma multidão de pessoas assentadas, isso é muito bom, mas e daí? Se parar para observar verá que muitos estão de conversa, distraídos, paquerando, sonolentos e mortos espiritualmente. Até mesmo no púlpito, vários obreiros estão de enfeite! Não se vê mais o “levanta e anda” sabe por quê? Por que não crêem... Outro motivo está levando a situação de inchaço: a liturgia é de aproximadamente duas horas, sendo uma hora e meia de louvor e avisos e meia hora de pregação! Detalhe, o microfone é passado ao pregador exatamente 30 minutos antes do término do culto!

Quer uma dica? Entre na igreja e faça o seu culto, de preferência com o s olhos fechados para não se distrair ou se escandalizar e ofereça o seu melhor á Deus. O Senhor está a procura de verdadeiros adoradores ( João 4:23 ).


Escrito por Anderson Dalcin

Um comentário: