Vídeos Imperdiveis

Loading...

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Para Meditar...



Depois de um desfile de misses, deveria se fazer um desfile de subnutridos para que os promotores soubessem que, enquanto alimentam vaidade, muitos estômagos continuam vazios!


- O demônio também entra em sua casa por via satélite.

- O bóia fria existe porque a fartura quente continua insatisfeita.


- Ser prego é mais difícil que ser martelo.

quarta-feira, 25 de junho de 2014

É pecado ter?

Não é pecado ter. É pecado desenvolver o egoísmo a ponto de não querer viver sem certas coisas, privilégios e luxos. É pecado não ter espírito de desprendimento e não utilizar o que se tem em benefício do outros com justiça. É pecado fingir desconhecer que somos apenas administradores e que nada nos pertence. Aquilo que nos vem deve ser visto como Graça, não como lucro, porque é preciso aplicar com o objetivo de abrir condições aos irmãos.

Quem tem e acha que se não tiver será infeliz, encontra-se moldando com antecedência um inferninho especial.

Texto de Neymar Barros

terça-feira, 24 de junho de 2014

As festas juninas são banhadas de ocultismo

As festas juninas vieram da Europa trazidas por portugueses que cultuavam São João nas festas 'joaninas'. Aqui no Brasil passou a ser chamada de 'juninas' e ganhou brilhantismo com a inserção de bebidas alcoólicas, comidas típicas como pé-de-moleque, jenipapo, leite de coco, pipoca e outros. As festas estendem-se por todo este mês de junho abrangendo também a devoção á Antônio e Pedro, além de São Francisco de Portugal, Santo Onofre, São Marcos, etc. Resumindo, é mais uma festa pagã introduzida no calendário pela igreja católica.
Durante as festas juninas as fogueiras são comuns, mas o seu significado possui  algo relacionado ao ocultismo; o fogo nos rituais religiosos antigos representa a purificação e o instrumento perpetuador do juízo. A comilança, bebedeira e as danças são heranças do cultos pagãos ás divindades femininas. Estes cultos sempre foram impregnados com sensualidade e luxuria próprios dos sistemas de culto de civilizações antigas. O Apóstolo Paulo condenou este comportamento entre os cristãos de Corinto que, estavam transformando a santa ceia numa festividade em que se empanturravam com comida e se embriagavam com vinho (ICo 11:17-22)
Ainda persistindo na fogueira; ela tem a forma de pirâmide, símbolo da energia, guardiã dos grandes segredos da sabedoria milenar, túmulos dos faraós e portal para reencarnação dos mortos do antigo Egito. O mastro de São João coma abandeira em triângulo, encerra outra simbologia do esoterismo revestindo -se de significado físico e espiritual. O cerimonial do levantamento da bandeira segue o mesmo ritual dos antigos cultos em que se marcavam os locais com pedras pontiagudas ou estacas fincadas no chão. No Egito usava-se o obelisco, monumento de pedra em que eram gravados os mistérios religiosos.
As práticas do paganismo não podem ser justificadas como tradição, nem vista como algo aceitável aos olhos de Deus. Protestantes e principalmente católicos devem ser prudentes e sempre buscar na bíblia o que convém. Nem todos que tem o nome de Deus na boca a todo momento entrarão no reino dos céus. Muitos dizem: "Se Deus quiser", "Graças a Deus", mas não vivem em vigilância. Muitas vezes dizem: "Tá amarrado!!!", mas não amarram os próprios pés e se lançam nas quadrilhas e festinhas pagãs. E se Jesus arrebatar a igreja no momento de uma festa junina?